terça-feira, 31 de julho de 2012

174# Escrever - 14#

Há em mim um estranho desejo de escrever, por outro lado, um receio de ver uma ideia terminada e não a achar boa o suficiente para completar uma parte de mim.

Sorte nº17, NamelessGirl

173#



A vida não está fácil princesa, chegou a hora de tirar a coroa e vestir a armadura. De olhar em frente e esquecer as histórias dos principes encantados. Há que proteger o coração e lutar pelo que queremos, sem distrações, superando as quedas e os nossos inimigos. Sendo melhor que os homens, ao fim de recuperar o nosso território.

Não podemos depender de ninguém, no escuro não vemos rostos, para morrer, somos todos iguais. No final, o que nos definirá, será a história deixada para trás. E essa, deve ser bem diferente das demais.


Sorte nº17, NamelessGirl

segunda-feira, 30 de julho de 2012

172# Apenas Sorri


Respira fundo. Escreve, rescreve e olha para trás.
Critica, deixa que te critiquem e defende-te. Aprende a argumentar.
Duvida, questiona, perde medos. Ganha confiança, perde peso, maquilha-te. Ou faz o inverso. Ganha peso, modera a tua confiança, tira tudo o que é falso de ti.
Vá, vamos. Conta até três e despede-te. Podes chorar, gritar, mas não deixes o inchaço orgulhoso no peito que mata cada vez mais devagar.
É agora, sorri, olha-te ao espelho, enfrenta os defeitos e corre. Sem propósito, sem intenções, apenas corre.
Faz. Refaz. Desfaz!
Pede conselhos, faz uma tatuagem. Marca-te, com algo de valor.
Esquece ou perdoa. Escolhe!, os outros é que ficam para trás, tu deves seguir com a tua vida, manter quem importa junto a ti. Nem que seja na mente. Depois disto, não te percas, não para muito longe. No entanto, viaja. Conhece. Arrisca!
Sim, arrisca! Destaca-te! Não tenhas medo do que pode vir. Nem de te fazer ouvir. O talento também se cria com o trabalho, suor e lágrimas. Por vezes sangue, mas aí os casos são outros. Mais sérios e graves.
Leva um passo de cada vez, mas chega lá. Escreve os teus objetivos e decora-os, não os tires da tua mente, mesmo que vaciles.
E vais vacilar, vai haver sempre alguém melhor do que tu. Vais achar que não prestas e ter a certeza de que não prestas. Vais sentir-te em baixo e ficar aí por um bocado. Não faz mal, parar é humano, mas estagnar é o pior dos erros do Homem. Por isso, quando parares, espera, não vás, mas volta ao teu caminho. Não duvides mais e regressa ao objetivo.
Um passo de cada vez, sem corridas. Não aprendemos a andar de um dia para o outro. Demoramos cerca de nove meses a nascer, sete meses a gatinhar e mais alguns para andar. Entrementes, caímos, choramos e conhecemos o medo. É como aprender a ler. Os erros, são os nossos gaguejos.
Além de tudo isto, sorri, sê feliz e AMA-TE! AMA-TE! Porque sem amor-próprio tudo soa como água corrida pela torneira, não sabemos onde vai parar.
Melhor? Estás a sorrir? Ainda não? No início disto também não estava. Logo, vamos continuar.
Não olhes para trás agora. Continua. Estás num campo de batalha. Preparas-te para enfrentar o teu adversário e entendes que ele é maior do que tu. Desistes ou vais a luta? Eu respondo. Não desistas, pega nas tuas armas e ataca.
É a tua vida, a visão que tens dela, as tuas ações. Vai! Enfrenta!
É fácil falar, sim, mas também conheço as dificuldades da ação, do desconhecimento. Conheço os medos e as amizades. Vá! Não digas não! Atravessa o fogo! Caminha sobre a água! Não te afogarás, não te queimarás!
Perdeste? Procura outra vitória, de cabeça erguida. Não acreditas que és capaz? Engraçado, eu digo que és. O teu íntimo sabe que és! Apenas tu, na tua mente superficial é que pensas o contrário.
O que vem de dentro é mais forte do que está fora de nós. Do que as palavras dos outros e as ações alheias. Porque o que vem de dentro, É O QUE QUEREMOS! E, se queremos, devemos ter! Jogando limpo, ambicionando, tentando ser o melhor. Talvez não os sejamos, mas o nosso melhor terá o nosso nome e seremos notados. Para ti, um deserto terá sempre um oásis e um mapa uma cruz para o tesouro. Consequentemente, vai à busca e encontra. Partilha as tuas descobertas. Rói as unhas pelo receio e depois deixa-as crescer. Muda o visual, aceita a mudança. Cresce como pessoa, contudo, não te esqueças que já foste criança.
Já sorris? Ainda não? Eu sei que este é só mais um texto, todavia, é para ti, para os teus, para as tuas incertezas nos momentos menos amigáveis.
Vamos, desperta!
O mundo ainda gira e as visões que tens, com um pouco de ação, mudam o teu mundo. Mudam o nosso mundo.
Enfim, já terminamos? Não sei. Não vou terminar, tenho de continuar, porque amanhã é dia. E depois desse, ainda vem outro. E depois desse, olho para trás, mas aí terei enfrentado a minha tempestade, dormido no meu deserto, queimado no fogo que era meu e afogado numa água que me deveria matar a sede. Aí estarei onde me orgulho, porque depois de um furação, vem um arco-íris.

Sorte nº17, NamelessGirl

domingo, 29 de julho de 2012

171#

"A visão sem ação, não passa de um sonho.
A ação sem visão é só um passatempo.
A visão com ação pode mudar o mundo."
Martha Medeiros

Sorte nº17, NamelessGirl

quinta-feira, 26 de julho de 2012

170# Escrever - 13#


 Aviso que este post pode não possuir muita corerência por ter sido escrito no momento e não editado.

E é assim: não publico no blog, não escrevo, não aproveito as férias, só penso. Ligo e desligo o computador sem intenções de o usar. Quiçá tenha medo de o ver ganhar pó, não sei.
Não costumo fazer disto um diário, mas há primeiras vezes para tudo e condenem-me se quiserem, que sacrificada não serei - pelo menos espero que não.
Esta minha onda de cepticismos e baixa vontade de fazer qualquer coisa, deve-se ao facto de escrever , escrever, escrever e não chegar a lado algum. É CHATO! MAU! DAS PIORES COISAS QUE HÁ! Porquê? Porque ando inscrita em forums e passeio por blogs e leio livros de escritores que aprecio e outros que não aprecio e vejo que tudo tem um princípio, um meio e um fim. Eu apenas chego a metado do meio, por vezes, nem isso. Irrita-me. Ou seja, eu irrito-me a mim mesma. BRAVA!!
O meu maior problema é achar que consigo escrever várias coisas ao mesmo tempo E consigo, mas não termino nehuma, porque, de algum modo, farto-me do que escrevo, começo a pensar que, do que lá tenho, nada é de jeito e que, se um dia quisesse publicar, ninguém o quereria ler ou ter numa prateleira, como um livro comprado. Então decido escrever uma história de cada vez. parece-me um bom plano, todavia, de repetente, surgem-me carradas de ideias para ouras histórias e tenho de escrevê-las. Para não melhorar, paro de escrever o que tinha primeiramente e sigo com outra que, muito provavelmente, mas muito provavelmente, não terminarei. Mas isto não é tudo, nãããããão... Que eu ando numa fase louca, pior do que uma grávida com as hormonas aos saltos. Como se não me bastasse a escrita, tenho um bichinho para a dança e o teatro e lá vou eu, procurar algo que me meta em palco, que me cause nervos, que me deixe aterrorizada com o que posso apresentar e mostrar. No entanto, em relação a isso, vou sempre até o final. Na verdade, em relação a tudo, vou até ao final, menos na escrita.
Escrevo histórias desde mos meus treze anos, vou fazer dezoito e só completei uma até hoje, que, por alguma louca razão, pensei em publicar... Como se isso fizesse sentido. A história não estava revista, tinha erros e precisa de ser mais trabalhada, pois não é nada de fantástico. Considero-a uma história de um só momento, com personagens que não precisam de um passado nem de um futuro, apenas daquele momento. E interrogo, isso é interessante? Talvez para  mim, mas não para quem lê. Além disto (este post está enorme e eu não quero saber, porque preciso de escrevê-lo), faço pesquisas e procuro dicas de como escrever melhor e leio livros, contudo, estou a dar em louca. Um livro de Como Escrever é como outro livro qualquer publicado, provém da experiência da pessoa como escritora. Logo, não leiam demasiados livros de como escrever, ou melhor, leiam e escolham o melhor e esqueçam os outros que vos passaram pela vista Ou então, não façam nada disso e escrevam à vossa vontade, ganhem experiência própria, que é o que tenho feito nestes últimos cinco anos, quase seis.
A minha intenção não é escrever um livro, não, de jeito maneira, como diz uma amiga minha, mas terminar o que escrevo. Rever e ficar contente com o resultado. Sofro de diletantism, essa é que é essa. Sou como o Carlos Maia de Os Maias. Ainda hei-de ficar no grupo dos Vencidos da Vida, como o Eça de Queirós.
No entanto, agora que penso (este testamento está a ser escrito agora), o meu grande incentivo a escrever e terminar algo, para além de uma imaginação fértil, eram as minhas amigas que gostavam de ler. Se bem que nem com elas eu terminei de escrever o que acumulei num dosseier A4 de lombada larga tem servido para um jogo projeto que já dura há dois anos e que me deixa sérias dúvidas. E depois, se escrevesse um livro, seria, claramente sobre o mundo do fantástico, algo que se tem vindo a banalizar cada vez mais.
Longe de mim parar de escrever, contudo, longe de mim escrever para nada, se nem do que crio gosto ao ponto de dizer, adoro.
Conclusão: 1) Serei, por enquanto, uma rapariga de grandes ideias e poucas finalidades.
 2) Preciso de saber como hei-de terminar uma segunda história.

Sorte nº17, que esta NamelessGirl vai fazer a sesta para o quarto.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

169#


 Pois, acredito, não duvido que seria mais sensato da minha parte postar todos os dias ou mais regularmente, porém, estou de férias, estou fora e não me apetece fechar este espaço.
Para aqueles que me seguem, lamento, mas não serei, nem de perto, regular.

Sorte nº17, NamelessGirl

quarta-feira, 18 de julho de 2012

168#


"O impossível não existe. É apenas uma grande palavra usada por gente fraca, que prefere viver no mundo como ele está, em vez de usar o poder que tem para mudá-lo, melhorá-lo. Impossível não é um facto. É uma opinião. Impossível não é uma declaração. É um desafio. Impossível é hipotético. Impossível é temporário. Impossível é relativo. Impossível é perigoso"
César Venancio
  Sorte nº17, NamelessGirl

domingo, 15 de julho de 2012

167# Cozinha

Experiência: Fazer esparguete no microondas. 
Tenho quase dezoito anos, cozinho desde os doze e nunca fiz comida no microondas. 
Desejem-me sorte que vou precisar. 
(Ah! Ah! Estou lixada)

Sorte nº17, NamelessGirl

sexta-feira, 13 de julho de 2012

166#

  "Hoje entendo o meu pai: 
Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”.
Amir Klink
 Sorte nº17, NamelessGirl

quarta-feira, 11 de julho de 2012

165# Hum... Pois...


E sim, é isso, sou feia... 
Não, nem por isso, não de todo.
Na verdade, poderia mostrar-me muito mais bonita, vertir-me como deve ser, porém, não gosto de ter olhos em cima de mim, causa-me confusão, deixa-me desconfortável. O que não quer dizer que não possa ser o centro das atenções, porque posso... (^.^) No entanto, gosto de estar no meu canto. 

Sorte nº17, NamelessGirl

sexta-feira, 6 de julho de 2012

164# A NamelessGirl - 20#

Desisti de ser uma princesa que deixa a sua vida dependente do aparecimento de um príncipe. Passarei a ser  agir como uma guerreira, ter a versatilidade de uma meretriz e os modos de uma dama.

Sorte nº17, NamelessGirl

quinta-feira, 5 de julho de 2012

163# - Um Dia


Um dia hei de escrever um diário... 

Sorte nº17, NamelessGirl

quarta-feira, 4 de julho de 2012

162# A NamelessGirl - 19#


Os exames terminaram, o Verão chegou, oficialmente, apesar do tempo de hoje, a imaginação e a vontade de escrever juntaram-se a mim e até me sinto mais feliz e animada. O que quer dizer que me encontro apta para voltar a escrever as minhas inutilidades no blog e as minhas histórias falhadas. Até o desafio dos 100!
Não prometo postar regularmente, porque estou de férias e, como é óbvio, os meus dias esperam-se atarefados com atividades pouco úteis ao meu futuro. Neste post não há muito a acrescentar, é uma simples forma de dizer "Olá outra vez" aos meus leitores.

Sorte nº17, NamelessGirl